Depressão

Depressão: o que é e quais são os sintomas e tratamentos?

Primeiramente, a depressão é uma sensação de tristeza, infelicidade e melancolia. Ainda, descontentamento, apatia ou a sensação de estar derrubado ou no fundo do poço. Porém, esses sentimentos devem ser diários e constantes. Afinal, a maioria de nós se sente assim de vez em quando por curtos períodos. Portanto, se esses sentimentos são passageiros, não significam que você tenha depressão.

A depressão clínica na verdade é um transtorno do humor. Enfim, em tal transtorno os sentimentos de tristeza, perda, raiva ou frustração interferem na vida diária de uma pessoa. Por fim, ele ocorre por um período de algumas semanas ou até anos.

Então, como diferenciar tristeza e depressão?

A tristeza é um sentimento pontual. Normalmente, ela acontece quando você passa por uma situação difícil. Então, ela passa e você apresenta uma melhora conforme os dias vão passando. Em resumo, a tristeza não chega a comprometer a sua rotina diária.

Em contrapartida, a depressão não melhora com o passar do tempo. Os sintomas continuam durante períodos longos. Esses sintomas influenciam suas atividades cotidianas. Em síntese, esses sintomas permanecem fortes e constantes por grandes períodos.

Porém, é importante você saber que existem vários tipos de transtornos depressivos. Sendo assim, cada caso deve ser analisado e tratado separada e individualmente.

A depressão pode acontecer em pessoas de todas as idades. Ou seja, sejam elas:

  • Crianças,
  • Adultos,
  • Adolescentes, ou
  • Idosos.
criança com depressão

Os sintomas de depressão incluem:

  • Baixo humor e irritabilidade constantes,
  • Dificuldades para dormir ou dormir demais,
  • Grande mudança no apetite. Ou seja, há ganho ou perda de peso,
  • Cansaço e sensação de falta de energia,
  • Sentimentos de inutilidade, ódio de si mesmo e culpa,
  • Dificuldade de concentração,
  • Os movimentos tornam-se mais lentos, ou mais rápidos, que o normal,
  • Falta de vontade de fazer as atividades diárias. Ou, deixar de fazer totalmente as atividades do dia a dia.,
  • Falta de esperança ou sentimento de abandono,
  • Pensamentos negativos repetitivos. Igualmente, pensamentos com vontade de morrer ou pensamentos suicidas, e
  • Perda do prazer em atividades que geralmente te deixavam feliz. Isso pode incluir inclusive a falta de vontade de praticar uma atividade sexual.

No entanto, vale lembrar que crianças podem ter diferentes sintomas da depressão que os adultos. Portanto, observe especialmente as mudanças no desempenho escolar, no sono e no comportamento das crianças.

Enfim, se você acha que seu filho pode estar deprimido, converse com o seu médico. Seu médico pediatra, ou de família, pode te ajudar a entender e aprender mais sobre como você pode ajudar o seu filho com a este transtorno.

Os principais tipos de depressão são:

  • Depressão grave. Acontece quando os sentimentos de tristeza, perda, raiva ou frustração interferem na vida diária. Porém se caracterizam quando acontecem por semanas ou períodos mais longos da vida de uma pessoa.
  • Transtorno depressivo persistente. É um estado de espírito deprimido que dura 2 anos ou mais. Assim, durante esse período de tempo, você pode ter períodos de depressão grave. Entretanto, eles podem acontecer juntamente com períodos em que os sintomas são menos graves.

Outras formas comuns de depressão incluem:

Transtorno depressivo maior. Conhecido também como a depressão unipolar.

Enfim, esse é o tipo de depressão mais frequente e conhecido. Logo, é caracterizado por mau humor, falta de interesse e prazer pelas coisas simples do dia a dia. Do mesmo modo, a pessoa sente falta de energia e vontade. Ou até mesmo redução e inexistência das atividades cotidianas. Em casos graves, se não for tratada, pode levar a um grande sofrimento e uma incapacidade temporária.

Distimia. Conhecido também como o transtorno depressivo persistente.

Para começar, essa é a forma crônica e moderada de uma depressão. Enfim, ela dura no mínimo dois anos. Neste tipo, na maioria do tempo a pessoa se sente triste e desanimada. Igualmente fica mais pessimista e sem vontade de fazer nada. Do mesmo modo, parece ter perda de energia e concentração.

depressão pós-parto

Depressão pós-parto.

Muitas mulheres se sentem um tanto deprimidas depois de ter um bebê. Mas, a verdadeira depressão pós-parto é mais séria e inclui sintomas de depressão mais graves.

Transtorno disfórico pré-menstrual (PMDD).

Sintomas depressivos que ocorrem 1 semana antes da menstruação e desaparecem quando ela termina.

Transtorno afetivo sazonal (TAS). Ocorre com mais frequência durante o outono e inverno. Porém, ele desaparece durante a primavera e o verão. Ele ocorre provavelmente devido à falta de luz solar.

Depressão grave com características psicóticas. Acontece quando a pessoa sofre de depressão por falta de contato com a realidade (psicose).

Depressão ocasionada pelo uso de substância ou medicamento. É o tipo de depressão decorrente da ingestão, injeção ou inalação de alguma substância ou medicamento no organismo. Mesmo após a descontinuação de uso da substância ou medicamento, podem continuar os sintomas de um transtorno depressivo. Por fim, em alguns casos pode ocorrer durante a fase de abstinência do organismo de tal substância ou de tal medicamento.

Depressão bipolar. O transtorno bipolar não é depressão. Porém o citamos aqui pois, nas pessoas que sofrem com esse transtorno, é possível encontrar episódios de mau humor extremamente deprimentes. Portanto, as fazem se encaixar, nesse quesito, em um quadro de depressão. Ocorre quando a depressão se alterna com algum tipo de mania. A saber, anteriormente essa mania se conhecia como depressão maníaca. Assim sendo, a depressão acaba sendo um dos sintomas do transtorno bipolar. Porém, ela é um tipo diferente de doença mental.

Como identificar a depressão?

Primeiramente, e mais importante, o diagnóstico final de uma depressão só pode ser dado por um profissional da saúde mental. Ou seja, psicólogos ou médicos psiquiatras. Portanto não se auto diagnostique. Muito menos se automedique. Procure um destes dois profissionais para um tratamento.

A saber, o tratamento contra a depressão é delicado. Por isso, o acompanhamento de um profissional competente que cuide de todo o processo de cura é muito importante.

Obviamente, alguns sintomas da depressão podem servir de sinais de alerta para você procurar ajuda. Da mesma forma, servem para você saber se você está realmente ou não com depressão.

Por fim, lembre-se que os sintomas da depressão podem ser tanto psicológicos quanto físicos. Igualmente, podem ser sintomas emocionais. Como por exemplo,

  • A tristeza,
  • Os sentimentos de indiferença,
  • A irritação, ansiedade,
  • A angústia,
  • A baixa autoestima,
  • Os comportamentos compulsivos,
  • Os pensamentos pessimistas,
  • A falta de esperança, e 
  • As ideias suicidas.
causas da depressão

Causas

Para começar, a depressão costuma ser passada de pais para filhos. Então, ela pode se desenvolver devido aos genes que uma pessoa carrega. Igualmente, ela pode ser desenvolvida por caudas dos comportamentos aprendidos em casa ou em algum ambiente de convivência que a pessoa diariamente convive. Enfim, a depressão pode se desencadear em decorrência de um evento estressante ou infeliz na vida da pessoa. No entanto, na maioria das vezes ela é uma combinação de todos ou alguns destes fatores.

A saber, muitos fatores podem causar depressão. Como por exemplo.

  • Primeiramente, o alcoolismo ou o uso de drogas.
  • Em segundo lugar, algumas condições médicas. Como por exemplo, o câncer ou a dor que atua por um longo prazo. Ou seja, conhecida também como a dor crônica,
  • Os eventos estressantes ou os outros eventos na vida. Como por exemplo
    • A perda de emprego,
    • Um divórcio,
    • A morte de um cônjuge ou outro membro da família, e etc.
  • Não ter uma vida social ativa. Essa é uma causa comum de depressão que ocorre principalmente em adultos mais velhos.

Quando procurar um médico especialista

Enfim, ligue para o seu psiquiatra se você: 

  • Ouvir vozes que não estão no local onde você se encontra.
  • Chorar com frequência sem motivo. Ou seja, sem causa aparente.
  • Sentira que a sua depressão afeta o seu trabalho, a escola ou a vida familiar por mais de duas semanas.
  • Tiver três ou mais sintomas de depressão citados acima.
  • Achar que um dos medicamentos que está tomando atualmente pode estar te causando a depressão. No entanto, NÃO mude ou interrompa os medicamentos sem consultar o seu médico.
  • Por fim, se você achar que o seu filho pode estar deprimido.

Como tratar o transtorno?

Seguramente, a melhor forma de tratar a depressão é buscando um atendimento especializado e de qualidade.

Portanto, sugerimos que você comece procurando um psicoterapeuta. Então, se ao conversar com ele, ele achar que no seu caso será indispensável a utilização de algum tipo de medicamento de apoio, ele vai te indicar também uma consulta com um psiquiatra.

Mas, saiba que nem todos os casos de depressão precisam fazer uso de medicamentos. Na verdade, os medicamentos podem ser fundamentais para ajudar aquelas pessoas com depressão, onde a química do seu cérebro parece ter passado por alguma alteração. Nesse caso o medicamento será usado para lutar contra o problema.

Atualmente, há diversos antidepressivos disponíveis, como o Rivotril e a Fluoxetina. Esses medicamentos normalmente trabalham para regular a química cerebral e para aumentar a disposição e energia.

Certamente, em muitas vezes eles são necessários para que a pessoa consiga aderir ou prosseguir com o tratamento psicoterapêutico. Porém, é importante não achar que ao medicamento é o único responsável para que uma pessoa deprimida saia desse quadro. Enfim, é através da terapia que as raízes e causas da depressão serão tratadas efetivamente. Em conclusão, a terapia é quem vai tratar as causas que fizeram a química do cérebro ser alterada e essa última será tratada com a medicação.

Por fim, e não menos relevante, é muito importante que a pessoa busque fortalecer os efeitos do tratamento buscando fazer mudanças significativas na sua rotina.

Algumas dicas para lidar com a depressão

  • Primeiramente, diminua o ritmo de trabalho,
  • Certamente, busque começar alguma prática de exercícios físicos.
  • Conjuntamente, melhore a sia alimentação
  • Então, busque desenvolver hobbies
  • Por fim, largue vícios que não são bons para a sua saúde física e mental.

Enfim, estes são exemplos de comportamentos que agregam qualidade de vida e que podem ajudar uma pessoa a superar a depressão.

Por isso, se você se identifica com alguns dos sintomas que citamos nesse post, ou tem algum conhecido passando por isso, marque uma consulta com um psicólogo ou comente com a pessoa conhecida que a marque.

Seguramente, buscar um profissional especializado em saúde mental é o melhor caminho para cuidar de uma depressão.

Se você gostou desse post “Depressão: o que é e quais são os sintomas e tratamentos?” comente abaixo e compartilhe nas suas redes sociais.

Caso queira usar esse artigo é só entrar em contato.

depressao e ansiedade depressao no brasil depressao significado depressao sintomas tipos de depressao

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido!
Open chat
Precisa de ajuda?